quinta-feira, 24 de abril de 2008

A "ressaca" de uma noite na balada.


Escrita no dia 16 de Fevereiro de 2008

Os planos começam a sofrer danos sérios
Os sonhos ainda têm tom de azul
mas, começam a desbotar

O que devia ser infalível,
agora parece impraticável.
Há mais respostas que perguntas.
Essa é só uma, aquelas milhares.
Talvez, tentando encontrar mil e uma justificativas
pra o que só tem uma resposta.

Há mais pensamentos que palavras.
Estão quase no mesmo nível.
Às vezes uma ultrapassa a outra,
Mas jamais ocupam a mesma linha.
Intrigantes demais para ocupar o mesmo espaço.

Os sonhos mantêm o tom de azul.
As palavras variam entre rosa e vermelho.
Os pensamentos...
tão intensos, quase cega a olhos nús.

3 comentários:

Nobre Epígono disse...

Olá, sumido rapaz do Processo Es(X)tático!

A ressaca mistura-se com muitos pensamentos e palavras. Às vezes, muito mais com a primeira. E por mais que um dia ela passe, há quem relembre de fatos um tanto "constrangedores" que houve em determinado estabelecimento.

Oh, pensamentos! Não conseguimos controlá-los. Não conseguimos guiá-los por um caminho ao qual sempre seja perfeito. A imaginação vive à mercê do tempo. E esse tempo trabalha de forma mais completa que as próprias palavras e imaginações.

Eis um processo não estático, meu caro poeta.

Fique bem, e não deixe de pôr algumas coisas que sua caixa craniana produz em seu blog!

Um abração!

PS: muitíssimo obrigado pelo comentário no meu post. Há dias eu também não postava algo. Há dias penso, penso, penso e não consigo escrever algo que chegue a altura do meu brilho de escritor. Você estava certo quando falou dos dois ditados. É incrivelmente como O MUNDO DÁ VOLTAS!!!

Nobre Epígono disse...

Sim, sim, Magalhães!

O processo com X é bem mais interessante, não?

Um abraço literário!

Fortes disse...

voltei pra cá tbm
heheheheh
esse tom de azul
sempre usado pra descrever felicidade
na verdade é o tom do fim da noite
do fim da fantasia
n me agrada nem um pouco