sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009


Em minhas alucinações
Eu vi meu amado jardim de flores.
Em minha vertigem, em minha tontura,
Em minha bebedeira
Girando e dançando como uma roca.
E me vi como a fonte da existência.
Eu estava lá desde o começo.
E eu era o espírito do amor.

Agora que estou sóbrio
Resta só a ressaca
A lembrança do amor
E somente a mágoa

Eu anseio pela felicidade
Eu peço por ajuda
Eu quero compaixão
E meu amor diz:
Olhe para mim, ouça me
Por que eu estou aqui
Somente para isso.
Eu sou sua lua e seu luar
Eu sou seu jardim florido e sua água também
Eu vim todo este caminho, ansioso por você
Sem sapatos ou manto
Eu quero que você ria
Para matar todas as suas preocupações
Para te amar
Para te nutrir
Oh doce amargura
Eu irei te confortar e te curar
Eu te trarei rosas
Eu também já estive coberto por espinhos.

Rumi

Um comentário:

Marcos disse...

Ei... tô aki passando para registrar minha presença num livro de uma pessoa tão importante pra mim como vc meu amigo.